© 2018 por Torquato.

E SUAS EXTENSÕES NA MODERNIDADE

*

13,14 e 15 de agosto de 2018

Universidade Federal do Cariri - UFCA

Campus Juazeiro do Norte - CE

I COLÓQUIO NACIONAL DE FILOSOFIA NA IDADE MÉDIA

O COLÓQUIO

No âmbito da tradição filosófica latina tardia e suas extensões no Renascimento, identificar as vertentes das doutrinas filosóficas que versam sobre as relações entre saber, verdade e poder. As teorias da cognição desenvolvidas nos séculos XIII a XIV no período da Escolástica tardia. As aporias em torno do conceito de Verbum mentis desde Agostinho a Nicolau de Cusa. As vias condutoras do saber e da verdade, a sensação e a intelecção no itinerário da razão a Deus. Destacar a relação entre conhecimento, sabedoria e ciência, visto que de um lado, temos o conhecimento do intelecto ou da razão superior, voltado para as Ideias divinas, da ordem da contemplação – a sabedoria; de outro lado, temos o conhecimento da razão inferior, voltado para as coisas sensíveis, da ordem da ação, fundado sob o ato da vontade e das paixões humanas - a ciência.

CONFERÊNCIAS E MINICURSOS

Prof. Dr. Marcos Roberto Nunes Costa - UFPE

Profa. Dra. Maria Simone M. Nogueira - UEPB

Prof. Dr. Claudio Pedrosa Nunes - UFCG

Prof. Dr. Manoel Vasconcelos - UFPel

Prof. Dr. Nilo César Batista da Silva - UFCA

Prof. Dr. Márcio Gimenes de Paula - UNB

Profa. Dra Camila Prado Oliveira - UFCA

Profa. Dra Maria Célia dos Santos - UFCA

Profa. Dra.  Francisca Galileia - UFC

Prof. Dr. Ricardo Brandão - IFPE 

Prof. Dr. Marlesson Castelo Branco - IFPE

Prof. Ms. Emanuel Marcondes Torquato - UFCA

Prof. Ms. Francisco José da Silva - UFCA

Prof. Dr. Luís Carlos Silva de Sousa - UNILAB

Prof. Ms José Urbano de Lima Júnior - UFAL

 

PROGRAMAÇÃO

DIA 13 DE AGOSTO DE 2018

19:00 - ABERTURA - MESA REDONDA

Moderador: Prof. Dr. Nilo César Batista da Silva - UFCA

Verdade e Retidão no Pensamento Moral de Santo Anselmo - Prof. Dr. Manoel Vasconcelos PPGFIL/UFPel

A Origem do Mal em Blaise Pascal- Prof. Dr. Andrei Venturine Martins IFSP

Mestre Eckhart ou como pensar de outro modo - Prof. Dr. José Teixeira Neto - UERN

DIA 15 DE AGOSTO DE 2018

08:00 às 11:00 - Trilhas Filosóficas Fé e Razão

13:30 - 17:30 - COMUNICAÇÕES

19:00 - MESA REDONDA

Moderador: Prof. Ms. Francisco José da Silva - UFCA

Pensadoras Medievais: uma escrita da transgressão - Profa. Dra. Maria Simone Marinho Nogueira UEPB

A Presença do Platonismo no De Magistro - Profa. Dra. Camila do Espírito Santo Prado de Oliveira - UFCA

Conhecimento e Verdade: a recepção da Filosofia Grega pela Falsafa - Profa. Dra. Francisca Galileia PPGFIL/UFC

 

DIA 14 DE AGOSTO DE 2018

9:00 MESA REDEONDA

Moderador: Prof. Marcos Roberto Nunes Costa - UFPE

 

Conhecimento,  saber e verdade em

Sto Tomás de Aquino

Prof. Dr. Luís Carlos de Sousa - UNILAB

 

A Crítica de Étienne Gilson ao neotomismo transcendental de Joseph Maréchal

Prof. José Urbano de Lima Júnior - UFAL

A Jurisdição Judicial na doutrina de

Tomás de Aquino

Prof. Dr. Cláudio Pedrosa Nunes - UFCG

 

 

13:30 as 17:30h - MINICURSOS

 

18:00h - LANÇAMENTO DE LIVRO:

 

19:00h - MESA REDONDA:

Moderadora: Profa. Dra. Maria Célia dos Santos - UFCA

 

A formação das imagens na “teoria do conhecimento” de Santo Agostinho

Prof. Dr. Marcos Roberto Nunes Costa UFPE

Ordo Justitiae: o bem próprio da cidade 

Profa. Dra. Silvia Contaldo PUC-MINAS

 

Breves considerações acerca do conceito de justiça em Santo Agostinho

Prof. Dr. Ricardo Evangelista IFPE

 

Verdade, conhecimento e vida feliz em Agostinho de Hipona

Prof. Dr. Marlesson Castelo Branco do Rêgo IFPE

 

Profa. Dra. Silvia Contaldo - PUC-MINAS

RESUMO DOS MINICURSOS

INTRODUÇÃO À FALSAFA JUDAICA E ISLAMICA

Profa. Dra. Francisca Galileia UFC

O presente minicurso visa discutir as principais características presentes nas filosofias desenvolvida nas terras do Islã (falsafa) entre os séculos VIII e XIII. Para tanto, tem-se a exposição do processo de recepção da filosofia grega no mundo árabe e a análise de como as interpretações dos textos gregos feitas pelos filósofos islâmico e judaicos influenciaram a Escolástica Medieval.

CORPO, ESPÍRITO E CORAÇÃO EM BLAISE PASCAL

Prof. Dr. Andrei Venturine Martins PUC/SP - IFSP

Blaise Pascal oferece dois conceitos chave- chave para a teoria do pecado original: o amor próprio, que consiste no direcionamento a si mesmo do amor infinito devido a Deus, e a vazio infinito, isto é, a falta  instituída do homem pela queda, somente preenchível pelo Cristo Mediador. Na esteira de Santo Agostinho, Pascal reflete sobre os conceitos de corpo, espirito e coração na compreensão do homo totus. O conceito de razão em Pascal compreende essas mediações: corpo e espírito em continua sintonia no pensamento humano. 

AS RELAÇÕES VERDADE E SABER NO LIVRO II DO DIÁLOGO SOBRE O LIVRE ARBÍTRIO DE SANTO AGOSTINHO

Prof. Dr. Nilo César Batista da Silva UFCA

Entre os vários diálogos escritos por Santo Agostinho circunscrevemos o Diálogo sobre o livre arbitrio, onde trata-se da noção de Verdade e sua com a  Sabedoria. Para Agostinho a verdade ilumina a mente humana no percurso do alcance da Sabedoria, portanto é comum a todos, ela esclarece e produz o conhecimento das principais noções, do eterno, imutável e do sempre verdadeiro. A tarefa que Agostinho levará a termo no Diálogo com Evódio é conciliar o primado de Deus na hierarquia dos entes e o atributo da Verdade. Deste modo, é fácil perceber que, quando o filósofo se propuser mostrar a evidência de uma noção suprema, nomeada por Deus, o fará estabelecendo uma identidade entre tal noção e a Verdade, de sorte que toda a realidade só pode ser percebida por meio da Verdade e na medida em que dela participa.

SABER, FÉ E RAZÃO NA OBRA DE VERA RELIGIONE DE SANTO AGOSTINHO 

Profa. Dra. Maria Célia dos Santos UFCA

A obra De vera religione de Agostinho de Hipona, escrita depois da sua conversão ao Cristianismo, não se resume apenas em um conteúdo apologético acerca dos princípios da religião cristã. Com efeito, encontramos no presente escrito, como que uma síntese do pensamento filosófico, antropológico e teológico de Agostinho. Evidenciaremos aqui a concepção agostiniana da verdadeira religião, como assunção radical da própria estrutura ontológica humana, que se manifesta no ato de conhecer.

O GNOSTICISMO SEGUNDO HANS JONAS

Prof. Ms. Emanuel Marcondes de Souza Torquato UFCA

Propomos analisar a leitura existencialista das fontes gnósticas antigas em Hans Jonas e sua contribuição para a formulação do princípio responsabilidade. Para Jonas o principio gnóstico com sua visão mitológica da cisão entre o homem e o mundo/natureza e o homem e Deus se atualiza de diversas formas na Modernidade. Este esquema de pensamento evidencia uma polarização radical da existência que não afeta somente o homem mas a totalidade da realidade. Em contraste com sua compreensão do gnosticismo, Jonas repensa a relação de integração Deus e natureza no princípio responsabilidade.

BEM COMUM E POLÍTICA NA DOUTRINA DE TOMÁS DE AQUINO

Prof. Dr. Cláudio Pedrosa Nunes - UFCG

A seguinte proposta tem como objetivo descortinar a doutrina ético-politica de Tomás de Aquino a respeito do bem comum. Uma das ideias mais chave do pensamento político de Tomás de Aquino  e da Filosofia do Direito é o conceito de bem comum. A gênese dessa temática nos remete às origens grega da filosofia  e também à Idade Média que nos interpreta nos parâmetros da existência de uma comunidade política. A noção de bem comum do Aquinate tem influências aristotélicas e agostiniana partindo do princípio de que o homem é um ser mais perfeito em toda a natureza por que substituem na natureza racional. 

DIDASCALICON E A EDUCAÇÃO: UMA EXTENSÃO NA CONTEMPORANEIDADE

Prof. Ms. Pedro Henrique Ciucci da Silva   PUCSP

Enquanto destinado a ensinar o que ler, como ler, por que ler, o Da Arte de Ler ( Didascalicon) é também um texto de filosofia da educação. Vendo aquelas ondas de jovens que chegavam nas escolas de Paris, o mestre Hugo concebeu a ideia de apresentar-lhes um quadro geral dos estudos e das disciplinas, para que eles se situassem e pudessem escolher. É na história, o primeiro livro pedagógico direcionado diretamente aos alunos, que nele encontravam um roteiro sobre o que ler e como ler. Além disso, nele os jovens encontravam conselhos sobre as qualidades que fazem do jovem um bom discípulo, cuja atitude suprema é a disciplina. O Da Arte de Ler é também uma introdução dos estudos, a primeira introdução escrita no segundo milênio. Este tipo de gênero, de introduções ao saber, nasce em ambientes alexandrinos, na metade do século II, estende-se pelos ambientes sírio-árabes e penetra nos ambientes latinos à partir de Boécio, no século V.

 

INSCRIÇÕES

Inscrições para comunicação e minicursos até 29 de abril de 2018 através do formulário:

 

COMITÊ ORGANIZADOR

Prof. Ms. Emanuel Marcondes de Souza Torquato - UFCA

Prof. Dr. Nilo César Batista da Silva - UFCA

Profa. Dra. Maria Célia Santos - UFCA

Prof. Ms. Francisco José da Silva - UFCA

Profa.  Dra. Camila do Espirito Santo Prado de Oliveira -UFCA

COMITÊ CIENTÍFICO

Prof. Dr. Nilo César Batista da Silva - UFCA

Prof. Dr. Marcos Roberto Nunes Costa - UFPE

Prof. Dra. Maria Célia dos Santos - UFCA

Profa.  Dra. Camila do Espirito Santo Prado - UFCA

Prof. Dr. Marco Aurélio Oliveira da Silva - UFBA

Prof. Dr. Manoel Vasconcelos - UFPel

Prof. Dr. Marcio Gimenes de Paula - UNB

Prof. Dra. Maria Simone Marinho Nogueira - UEPB

Contato

Av. Tenente Raimundo Rocha S/N - Bairro Cidade Universitária
Juazeiro do Norte - Ceará
CEP 63048-080

Como Chegar:

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now